sobre nós

A história do Instituto Logos remonta a idos de 2006, quando um grupo de alunos, sob a mentoria de Wesley Anderson, começou a se reunir para estudar Alquimia.

 

Ao longo dos anos, os estudos foram sendo aprofundados e aprimorados, envolvendo também a realização de vivências, pesquisas, cursos, plantios, práticas de laboratório, palestras, atendimentos e muitas outras iniciativas. A cada ano, novas pessoas se juntavam ao grupo, sempre somando e compartilhando a troca de conhecimento.

 

Recentemente, as atividades do grupo começam a se organizar sob o guarda-chuva do Instituto Logos, fortalecendo-se como instituição, ganhando corpo e forma para poder criar condições de crescimento e desenvolvimento da semente plantada e cultivada ao longo de todo esse tempo.

Atualmente, com unidades no Rio de Janeiro e em São Paulo, o Instituto Logos passa a se reorganizar também no mundo virtual, possibilitando o ganho de capilaridade e alcance a alunos em outros lugares do Brasil e do mundo.

ONDE ESTÁ A ALQUIMIA?

WESLEY ANDERSON

A Alquimia está no ato simples e belo de uma semente se transformar em broto, e desse broto se transformar em árvore e essa árvore explodir em total esplendor com a chegada da primavera, agradecendo a Mãe Terra por ser sua nutriz e receptáculo. Quase como mágica, resumir todo o seu Ser em uma simples e frágil semente, para devolver novamente à Terra, para que sua próxima geração possa nascer mais bela e florida, mantendo um equilíbrio eterno e harmonioso, para se fazer os milagres de Uma Só Coisa, mantendo a maior dádiva que o Criador nos deu: a vida. E, desta forma, manter a tênue linha que sustenta todas as coisas unidas em um único e gigantesco corpo chamado Planeta Terra.

 

Nós, seres humanos, principais células desse gigantesco corpo, que deveríamos lutar - mais do que qualquer outra criatura - para manter íntegra essa tênue linha, simplesmente tentamos destruí-la, porque nos tornamos envaidecidos, orgulhosos e prepotentes demais na posição de células principais desse corpo. Perdemos, assim, a consciência do nosso Espírito, e a conexão com o Criador.

 

Mas, como um grupo de células pode se tornar mais importante do que o corpo ao qual ele pertence? Simplesmente não pode. Diante desse movimento arrogante e prepotente, nos esquecemos que já é primavera e que devemos florir para agradecer a Mãe Terra. Devemos reorganizar nossa Alquimia, colocando em equilíbrio nossos quatro elementos e reorganizando nossas três substâncias, seja através da redescoberta de nossa consciência e missão, seja através da Arte da Alquimia. Desta forma, resumindo sua condição de microcosmo, podemos assim religar-nos ao Criador - macrocosmo. Arte esta que nos ensina que todas as coisas existentes neste planeta têm uma fonte única de Criação e que são compostas do mesmo princípio. 

É com base neste ensinamento que um verdadeiro alquimista pode criar um remédio vivo, utilizando todas as partes da planta, não somente o princípio ativo, mas também sua energia vital, criando um elo de ligação entre a planta, que agora está viva em um vidro, com a pessoa que a toma, possibilitando, então, dinamizar todas as estruturas corpóreas afetadas e também todos os corpos etéreos onde haja desequilíbrio. Neste momento, o remédio vivo é capaz de recuperar o Ser, reequilibrando a bioquímica dos quatro elementos e reorganizando as três substâncias, retirando o Ser da via negativa que percorria, dando a ele uma chance única de perceber que faz parte de um Todo, e que o Todo está nele.

 

Diante dessa nova consciência, com a força do fogo do verão, revemos brotar dentro dele a semente da vida, que irá crescer com a água do inverno, fortalecer com o ar do outono e com a força da terra, florir na primavera. Assim, com toda essa beleza, agradecer ao Criador, dizendo a Ele de cabeça erguida: "obrigado".